domingo, 6 de fevereiro de 2011

Insatisfeitos a produzir !!!

Há algum tempo atrás, “meio mundo” deste país ficou escandalizado quando num, dos muitos relatórios que anualmente as entidades oficiais, nacionais e estrangeiras, divulgam sobre o caminhar do país, referiu que em Portugal a produtividade era muito baixa.
Levantaram-se coros de protesto, os “trabalhadores” então… “nós fartamo-nos de trabalhar!” Disseram muitos.
Conforme tenho ido “crescendo” tenho ido mudando, “aperfeiçoando” os meus pontos de vista. Tempos idos, eu pensava que o que emperrava Portugal era falta de organização. Hoje penso diferente, o que emperra Portugal, é falta de educação e compreensão.
Falta de educação, porque uma grande parte da população, não foi, não é e pelos vistos não será, educada para a vida em sociedade. O povo português pode ter muitas virtudes, mas tem alguns grandes defeitos, e um deles é a forma egoísta como cada um age ou reage, esquecendo quase sempre tudo o que está à sua volta quando o objectivo é defender o seu umbigo. Não é assim que as sociedades mais desenvolvidas lá chegaram. Se olharmos para os países do norte da Europa, verifica-se que os valores são diferentes, reparta-se muito mais, lá a comunidade é sempre mais importante que a pessoa individual.
Esta falta de educação revela-se a vários níveis. Em Portugal há muito poucas pessoas que pensem a médio e longo prazo. A maior parte das pessoas, quando decide o que quer que seja, não pensa nas consequências a longo prazo. Compra-se determinado produto porque é mais barato que o outro, como exemplo é bem revelador o sucesso das lojas chinesas em Portugal. Como uma grande parte da população é assim que pensa, muitos dos dirigentes, gestores, empresários ou até mesmo decisores  políticos é assim que agem.
Tomam-se muitas decisões que só tem bons resultados do imediato, revelam-se desastrosas no médio e longo prazo, no entanto as pessoas não aprendem com os erros que vão cometendo, e repetem-se nas tomadas de posição. Isto acontece, porque as pessoas não compreendem.
Não compreendem que erram, não compreendem que não pescam nada do assunto, não compreendem que não são os mais…inteligintes, mais prespicazes, mais espertos. Não compreendem o que se passa á sua volta, nem fazem um esforço por compreender! Ninguém nasce ensinado, e grande parte dos portugueses não compreendem que tem falta de formação.
Em Portugal, age-se por intuição, compadrio, interesses individuais, na maior parte das vezes, descura-se o que está à volta.
O Japão é dos países do mundo, onde mais se produz, e onde se produz com qualidade.No entanto e ao contrario dos portugueses, os trabalhadores japoneses, são dos mais satisfeitos! Trabalham ao som de musica, tem pausas programadas e planeadas para o relaxamento, ou seja a classe dirigente percebe, compreende, que quanto mais satisfeito estiver quem produz, melhor e mais o faz. Em terras lusas, a teoria é diferente, pensam os “iluminados”. Anda tudo a “toque de caixa”, quanto mais oprimidas, amedrontadas, intimidadas as pessoas se sentirem mais irão trabalhar! Trabalhar até pode ser, produzir é que não. Ignorância, quem assim pensa, não se olha ao espelho, pois basta analisar quais são os dias, horas mais produtivas dos próprios para perceber que quanto mais felizes forem os negócios, mais proveitosos são as horas que se seguem. É assim com toda a gente!
-“Incrivel Mike!!”
Os nossos decisores, na sua grande maioria, privilegia o lucro imediato, pensam muito mais nos bens próprios, e na sua aquisição do que em investimentos que permitam o desenvolvimento do que tem proporcionado a riqueza adquirida. Cortam-se, ou não se aumentam os salários, não com o objectivo de manter o negocio lucrativo, mas sim com o objectivo de não baixar as margens de lucro, os proveitos próprios. Tenho alguma dificuldade em perceber a teoria! Sacrifica-se o futuro de todos, em prol do presente de muito poucos. Quanto mais contentes, felizes andarem as pessoas melhor será o seu desempenho.
Será assim tão difícil de entender?
Ganharíamos todos, assim só ganham alguns, mas mesmo esses poderiam ganhar muito mais se tivessem umas “vistas” mais alargadas!

Sem comentários:

Publicar um comentário